6º Salão de Turismo - Parte IV

25 de Julho de 2011, 0 comentário
Olá Pessoal!

Dando continuidade ao relato da Mesa de Debates “Marketing de Relacionamento com Clientes e Ferramentas de Marketing On-Line” que participei no primeiro dia do 6º Salão de Turismo – Roteiros do Brasil, Ryan George – CEO da Simpleview dos Estados Unidos Ryan Georg e, que é graduado pelo Eller College of Management (University of Arizona), com graduação em Contabilidade e Gestão de Sistemas de Informação. Tem na Tecnologia da Informação a base de sua formação acadêmica e profissional. Sob a sua liderança, a empresa Simpleview passou de uma pequena empresa desenvolvedora de software para a empresa líder no fornecimento de tecnologia para soluções de marketing e vendas para organizações de marketing de destinos. Ryan é considerado um expert em viagens e turismo, tecnologia e empreendedorismo.

Em sua palestra Ryan falou especificamente sobre "Customer Relationship Management" (CRM) ou Gestão de Relacionamento com o Cliente, para Destinos Turísticos. A Simpleview desenvolveu um sistema de gestão baseado na web que combina encontros de vendas, gestão de parceiros da indústria, marketing de consumo, previsão, análise de negócios, relatórios e muito mais informações importantes para uma gestão eficiente de determinado Destino Turístico. Esse sistema foi criado especificamente para viagens e turismo - acompanhado por profissionais de DMO e com base no trabalho maneira de trabalho dos DMOs, para melhorar cada aspecto de vendas de destino, marketing e comunicação através de:

  • Compartilhamento de informações dentro da DMO e com parceiros da indústria e das partes interessadas;
  • Tornando-o fácil acesso e filtro de informações para relatórios e previsão;
  • Construção de ferramentas simples para comunicações de fluxo de trabalho e produtividade;

Como resultado o CRM da Simpleview permite tempos de resposta mais curtos, maior produtividade, melhores relações com clientes e partes interessadas, reduz custos operacionais e aumenta as vendas e o número de visitas ao destino, segundo Ryan.

Ryan chamou a atenção para a utilização de mais imagens nas ações de marketing dos destinos, com vídeos e fotos de boa qualidade e também para necessidade de criação de ferramentas para reserva, onde o cliente ou agência possa agilizar esse processo. Disse que devemos ter especial atenção para os dispositivos móveis como celulares, notebooks e tablets, pensando no desenvolvimento de aplicativos especiais para esses equipamentos que cada vez mais vem sendo utilizados para busca de informações e fechamento de negócios em todo o mundo.

Outra questão importante é a classificação do marketing conforme os perfis dos clientes e potenciais clientes. Para tanto, Ryan afirma que devemos conhecer os clientes para fazer o marketing customizado e lançar mão de ferramentas como o benchmarking para conhecermos o que de melhor vem sendo feito neste sentido em outros destinos para adaptarmos aos nossos e assim conseguirmos ser mais competitivos no mercado.

A ferramenta de CRM apresentada durante esta Mesa de Debates é semelhante ao que o Ministérios do Turismo utiliza para gestão dos Destinos Indutores que é o Sistema SG65 desenvolvido pela empresa Módulo e que serve para acompanhamento das ações do Programa 65 Destinos Indutores do Turismo.

Acredito que a ferramenta CRM é sim muito eficiente e que contribui muito para gestão seja de Destinos Turísticos ou de outros projetos ou negócios, no entanto exige conhecimento e capacidade empresarial para ser implementada. E não estou falando somente de investimento de recursos financeiros mas sim de tempo e paciência para busca de conhecimentos a respeito dessa ferramenta. De nada adiantaria investir em CRM se os tomadores de decisões não soubessem para que servem tantas informações coletadas através da ferramenta. Lembro ainda que o quesito “capacidade empresarial”, segundo o Estudo de Competitividade da FGV realizado em todos os Destinos Indutores nos anos de 2008, 2009 e 2010, é uma das notas mais baixas no nosso Destino conforme podemos observar no gráfico abaixo retirado do relatório analítico da FGV de 2010.

De maneira geral avalio minha participação na Mesa de Debates “Marketing de Relacionamento com Clientes e Ferramentas de Marketing On-Line” como válida para me colocar a par do que está acontecendo de mais atual na gestão de destinos mundo afora, mas, acredito que o Brasil, salvo algumas exceções, está longe ainda dessa realidade, ou seja, ser capaz de se utilizar dessas ferramentas com profissionalismo.

Abraços!